sábado, 17 de outubro de 2009

Educar é qualidade!

Após uma semana de grandes lutas e grandes vitórias volto a escrever na minha página.

Aproveito as comemorações do dia dos professores que aconteceu essa semana, para desejar QUALIDADE para a educação brasileira. 509 anos se passaram desde o descobrimento do país, e continuamos com professores mal remunerados, desqualificados e a evidente falta de condições mínimas para o avanço da educação. Infelizmente, temos sacrificado a qualidade pela quantidade (Estamos na era da massificação do ensino superior, independente do preparo dos universitários). Erradicamos o analfabetismo, porém não podemos esconder os analfabetos funcionais que estão nas mais altas esferas do poder.

Estendo essa crítica para a escola que, por ser UNA independente de denominações, se torna a maior de todos os tempos: a Escola Bíblica Dominical (EBD). Preocupa-me saber que, geralmente, muitas igrejas não se preocupam com a formação adequada dos seus professores e que alguns destes vivem de “estudar” o que vai ser ensinado somente na véspera, quando não estudam na manhã do próprio domingo ou, até mesmo, não estudam. Sabe qual é o resultado disso? Falsos doutores que introduzem encobertamente heresias de perdição (2 Pd 2:1). E o pior: Alguns professores das escolas bíblicas nem sabem que os seus ensinamentos são heresias, errando por não conhecer as escrituras. PASMEM: Recentemente conheci um líder e professor “em potencial” que divulgava para os seus ouvintes que “sob todas as condições, o homem só iria ser salvo se fosse batizado!”, confirmando que um TEXTO fora do CONTEXTO era um pretexto para uma HERESIA! Por isso, mais uma vez digo: Cuidado igrejas com os seus professores

Fica registrado aqui um pensamento meu: “Se quiseres conhecer uma igreja que maneja bem a Palavra, perceba antes o grau de importância que ela dar as EBD´S”. Confesso que sempre tive muita dificuldade, por causa do dia e do horário, para freqüentar a EBD e sempre me perguntei se a Escola Bíblica de Domingo só poderia ser mesmo domingo de manhã. Até que conheci um pastor ousado e usado por Deus que, ao observar a evasão dos alunos no domingo pela manhã, trocou a sigla EBD pela EBSn, a saber: Escola Bíblica de Sexta a noite. Resultado? Casa Cheia! Pessoas que tinham dificuldade de ir a EBD por trabalharem de Segunda a Sábado 06:00 da manhã e no domingo o corpo sentir a necessidade de dormir para recarregar as energias, passaram a ir pontualmente todas as sextas. Muitas vezes temos que romper com a tradição e levantarmos estratégias para que todos aprendam a Palavra pura e verdadeira.

Aproveito o momento para agradecer aos amigos leitores e debatedores do texto SE MARIA ABORTASSE! Muito aprendi, me enriqueci e mudei com os comentários que foram feitos. Termino com um trecho de um texto filosófico que estou lendo hoje: “De pouco serve a um homem saber ler, se o material posto a sua frente deve ser aceito sem questionamento (...) Sem a liberdade de falar, criticar, seria melhor sermos analfabetos”

Abraços.

Deivson

P.S: Breve teremos textos dos colaboradores deste blog: Deise Quintiliano e Leonardo Fontes

sábado, 10 de outubro de 2009

Se Maria abortasse...


Aborto é um tema de bastante discussão aqui no país. Seja ela jurídica ou religiosa, me sinto a vontade para falar dessas duas vertentes do pensamento e, neste momento, vos convido para uma breve reflexão e, a posteriori, o debate está aberto.

O contexto social da mulher passou por inúmeras transformações até o presente século. Outrora, ela assumia somente o papel do lar e sua função mater era a procriação e se, por algum motivo, não cumprisse tal expectativa, era desprezada.

Hoje, a mulher que só tinha seus deveres reconhecidos tem, gradualmente, titularizado direitos, p. ex: assumir funções públicas (Já percebeu quantas mulheres concorrerão às eleições de 2010?). Agora vai a pergunta: Será que os direitos femininos se estendem ao direito de abortar um feto do seu ventre? Prefiro responder, tal pergunta, comentando um pouco sobre a história de Maria.

O Que se sabe sobre Maria nas escrituras, é que estando ela em Nazaré, veio o Anjo do Senhor e lhe anunciou que engravidaria mesmo sem ter conhecido sexualmente um homem (Lc 1:35). Desde já, podemos contestar o aborto, atualmente discutido na seara jurídica, de bebês que nascem sem a formação completa do encéfalo, os anencéfalos, chamados por alguns doutrinadores do Direito como “fetos potencialmente mortos” “não-vivos”.

Basta lembrarmos que no contexto do nascimento de Jesus, não havia os exames que há no cenário médico atual e Maria somente ouviu a voz do anjo e mesmo sem ter algum contato sexual com José e nem ter realizado uma ultrassom, ela acreditou que aquele bebê que era mais que um “feto potencialmente morto”, e sim era um “feto potencialmente inexistente” viria a existir, não pelo diagnóstico da medicina e sim, pela Palavra do Deus Vivo. Aleluias!

Se Maria se revestisse dos conceitos jurídicos atuais, ela tinha razões para abortar um feto que possivelmente não existiria, que agrediria seus “direitos a privacidade” ou “direitos a intimidade”, porém, mesmo assim, preferiu deixar com o Senhor o controle da vida humana e dizer: Eis aqui a serva do Senhor.

Para que Maria abortasse, ela não precisava de muitos argumentos. Simplesmente poderia tentar fugir da difamação, caso seu noivo não a aceitasse. Contudo, Maria entendeu! Graças a Deus que, mesmo em uma época tão ultrapassada comparada a nossa, ela compreendeu muitos mistérios que a medicina tenta discutir até hoje. Ela ao ler os livros dos seus antepassados, ela entendeu que o feto é um ser independente jurídica, psicológica e espiritualmente do corpo da sua mãe. Ao ler Jeremias, ela percebeu que Deus chamou Jeremias desde do ventre para uma obra particular, e que espiritualmente, mesmo como feto, o chamado não foi para sua mãe, e sim um chamado para o próprio Jeremias. Se Maria abortasse, ela estaria desprezando o capítulo 9, versículo 6 de Isaias, onde declara que primeiramente há um reconhecimento de um ser que é autônomo em relação a sua mãe: UM MENINO NOS NASCEU e somente depois há uma ligação desse menino com a sua ascendência: UM FILHO SE NOS DEU e, com certeza, se o fim dessa história acontecesse sem a decisão acertada dessa jovem mãe, nem ela e nem toda a humanidade conheceria o nascimento de uma criança que dividiria maravilhosamente o tempo com o seu Antes e o seu Depois.
Vamos discutir as questões levantadas ou não levantadas nesse texto? Comente.
Deivson

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Está dada a largada...

Sejam bem vindos a minha página pessoal. Um espaço para discutir temas relevantes para o crescimento “psico-espirito-social” do homem. O projeto dessa página há muito que surgiu, porém aprendo que tem planos que são semeados ao longo do tempo e, somente hoje, o projeto vira realidade. Como já dito, quando chamo essa página de pessoal é por que assumo as posições aqui colocadas, mas não as tenho como verdades absolutas e espero que aqui seja o ambiente de debate. Enfim, eis o “Bem lido e bem corrido” , um nome que surgiu do encontro com um senhor tido como analfabeto e, que neste espaço, os meus leitores se edifiquem, emocionem, contradigam, completem-se e, acima de tudo, entendamos que Ler e Correr são verbos de 2ª conjugação, mas que sempre deverá ter primeiras atenções para o homem.

Abraços

P.S: Quero dar os créditos do layout dessa página para Isa Sara, minha noiva. Parabéns Sara, está lindo como vc!

Deivson

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP